• Home
  • Blog
  • Transformação digital: entenda os impactos para o comércio exterior

Transformação digital: entenda os impactos para o comércio exterior

Transformação digital: entenda os impactos para o comércio exterior

A transformação digital não é apenas uma tendência ou termo da moda, mas uma mudança de paradigmas comparável às primeiras revoluções industriais. Cada vez mais, as empresas e indústrias se rendem à automação, ao Big Data e à Inteligência Artificial para se posicionarem em um cenário global de alta competitividade.

O segmento de comércio exterior, assim como todos os setores da economia, está vulnerável ao impacto das inovações disruptivas. Neste artigo, vamos mostrar quais os efeitos da transformação digital no ramo. Acompanhe!

A transformação digital

É comum imaginar que a transformação digital é apenas mais uma maneira de melhorar os números de vendas, reduzir custos operacionais ou, simplesmente, um adorno para reuniões de negócios, sem grandes aplicações na prática do mundo real.

Contudo, trata-se da digitalização completa das atividades em uma empresa e do uso extensivo da tecnologia no desenvolvimento de produtos, na fabricação em série, nas atividades operacionais em qualquer nível da empresa e na inteligência estratégica.

Alguns dos pilares da transformação digital sustentam as colunas da internet e dos negócios há alguns anos. Outros são mais recentes e poucas organizações adotam, como:

  • Internet das coisas;
  • big data e análises;
  • computação em nuvem;
  • robótica avançada;
  • inteligência artificial;
  • automação de processos;
  • segurança cibernética.

Tais tecnologias permitem uma infinidade de aplicações, como a integração de toda a cadeia de valor por meio de softwares avançados que geram dados das operações e permitem tomadas de decisões mais inteligentes. O resultado imediato é o melhor desempenho em todos os níveis, redução do desperdício e aumento da competitividade.

De acordo com o estudo State of Digital Business Transformation, publicado em 2018 pelo IDG, qualquer empresa pode aumentar suas receitas — numa média de 23% — com a adoção da transformação digital. Segundo a pesquisa, 89% das empresas têm planos de adotar ou já adotaram uma estratégia centrada nas tecnologias digitais.

Os impactos da transformação digital no comércio exterior

Gestão de importação e exportação

O processo de entrada e saída de mercadorias do país está ganhando eficiência. A Declaração Única de Exportação (DU-E) já substitui diversos documentos, e permite que as empresas de comércio exterior tenham metodologias mais ágeis na gestão comercial e no diálogo com a Receita Federal.

Há softwares ERP no mercado que contam com módulos dedicados às operações de exportação e importação, o que reduz a sobrecarga de trabalho burocrático sobre os profissionais de comércio exterior. Assim, eles podem ser alocados para atividades que requerem uma visão mais estratégica.

Rastreamento e identificação de cargas

A eficiência logística tem como principal parâmetro a agilidade no embarque, além do transporte e entrega das mercadorias. Quando o cliente é corporativo, a ineficiência cobra um preço alto, e nada é mais prejudicial a um cliente do que uma carga extraviada durante o transporte.

A transformação digital permite o compartilhamento de dados em tempo real por meio de dispositivos associados à Internet das Coisas (IoT). Hoje, já existem dispositivos para rastreamento de cargas em caminhões e contêineres — inclusive os refrigerados — que usam o GPS para comunicar ao gestor de comércio exterior a localização exata da sua carga.

Rapidez na adequação às medidas regulatórias

A burocracia é um dos maiores entraves para o comércio exterior no Brasil. Segundo estudo da Reuters e KPMG, o licenciamento da importação, gestão de despachantes e classificação de produtos importados estão entre os itens que mais incomodam o setor. Estima-se que são efetuadas 33 mudanças regulatórias por mês.

A tecnologia permite uma adequação mais rápida e eficiente a essas demandas, uma vez que o acompanhamento humano das mudanças requer um alto investimento em pessoal.

Como se trata de uma atividade que não agrega valor ao negócio, a tecnologia garante uma economia de escala ao liberar os profissionais para atividades mais analíticas e decisivas.

A transformação digital chegou para todas as empresas e o comércio exterior não está fora do alcance dessa nova realidade. Portanto, é necessário promover uma adaptação rápida para evitar que a concorrência e a burocracia governamental sufoquem as iniciativas inovadoras do setor.

O que achou do conteúdo? Assine agora nossa newsletter para ter acesso a mais artigos relevantes sobre o comércio exterior.

Avenida Princesa Isabel, 574, bloco A, sala 208
Centro, Vitória, Espírito Santo, Brasil, CEP.: 29010-360

+55 (27) 3233-0023
+55 (27) 9 9978-7208
portual@portual.com.br